Varizes nos membros inferiores

O que são varizes?
As varizes nada mais são que veias dilatadas e tortuosas, de cor azulada, que geralmente aparecem nas pernas. Em alguns casos, as varizes incomodam apenas pelo problema estético, mas em muitos outros as pessoas também sentem cansaço, dores nas pernas ou têm complicações mais sérias.

Quais são as causas mais comuns das varizes nas pernas?
Vários são os fatores que aumentam a chance da pessoa ter varizes, sendo a hereditariedade (que passa de pais para filhos) o mais importante. Porém, outros fatores como a gravidez, hormônios femininos, e ficar muito tempo em pé ou parado pelo trabalho (por exemplo, balconistas, professores, vendedores, etc.) também são fatores de risco importantes para as varizes.

Por que as varizes são mais comuns nas pernas do que em outros lugares?
Depois do sangue sair do coração e chegar às pernas e pés, ele tem que voltar ao coração e aos pulmões para receber mais oxigênio. Isso é feito com a ajuda dos músculos e das veias das pernas e dos pés. Eles “fazem força” para que o sangue destas regiões mais baixas do corpo suba em direção ao coração e pulmões (contra a gravidade). Além disso, para que o sangue que está subindo não volte, existem pequenas válvulas dentro das veias que impedem que isto aconteça. No entanto, quando por diferentes motivos o sangue não consegue subir, e se acumula nas veias das pernas e pés, as veias ficam dilatadas e aparecem varizes.

O que a pessoa com varizes sente?
No geral, além do desconforto estético das varizes, as pessoas reclamam de inchaço (edema) na região do tornozelo e uma sensação constante de perna cansada e pesada. Isso costuma piorar no fim do dia, principalmente depois de várias horas em pé ou sentado, e nos dias de calor. Nas mulheres, os sintomas muitas vezes pioram durante a menstruação ou durante a gravidez.

Quais são as principais complicações das varizes?
Com o passar do tempo, a má circulação do sangue nas veias pode levar a complicações como manchas escuras nas pernas e pés, problemas de descamação de pele (eczemas), sangramentos, pele mais sensível e que se machuca facilmente, infecções de pele (erisipela) e deformidades no local. Também podem aparecer feridas (úlceras), que são difíceis de cicatrizar. Nos casos mais complicados, o sangue acumulado nas veias dilatadas também pode “coagular” (formar trombos), e com isso entupir as veias e dificultar ainda mais a circulação do sangue.

Quais são os tratamentos para varizes?
Existem vários tratamentos para as varizes, que devem ser indicados de acordo com cada caso. Entre esses tratamentos, podemos citar o uso diário de meias elásticas de compressão (que ajudam o sangue a subir) e medicamentos que podem melhorar a circulação das pernas, amenizando os sintomas. Para o uso de meias elásticas, recomenda-se que a pessoa as coloque logo pela manhã, pois com o passar do dia, ocorre o edema que dificulta a sua colocação. Em relação aos medicamentos, estes devem ser utilizados sempre de acordo com a prescrição médica para que funcionem adequadamente.
Além desses, há outros tratamentos que podem ser utilizados. A chamada escleroterapia consiste na destruição e eliminação de pequenas varizes, por meio de pequenas injeções de substâncias, e é uma boa opção de tratamento para os casos mais leves. Por outro lado, nos casos mais sérios, a cirurgia pode ser indicada. Neste tipo de tratamento, fazem-se pequenos incisões e retiram-se as veias que estão mais dilatadas e doentes.

É possível prevenir as varizes?
Podemos reduzir a chance de aparecimento das varizes tendo uma vida mais saudável e ativa. Praticar exercícios regularmente (por exemplo, caminhada de no mínimo 30 minutos três vezes por semana, natação, alongamento, etc.), evitar ficar muito tempo sentado ou em pé, usar diariamente meias elásticas e procurar tratamento médico o mais rápido possível são alguns cuidados que devemos tomar.

 

Dicas saudáveis para quem tem varizes
Pratique um exercício físico (faça caminhadas leves, natação ou alongamento três vezes por semana).

Mantenha um peso saudável (faça uma dieta balanceada, com muitas fibras e pouca gordura).

Evite o “intestino preso” (faça uma dieta rica em fibras e beba cerca de 1,5 litro de líquidos ao dia).

Evite ficar na mesma posição – parado ou sentado – por muito tempo (por exemplo, faça pequenas caminhadas durante o dia).

Durante as viagens (por exemplo, de avião), quando possível, movimente as pernas, ande, levante e abaixe os pés rapidamente, de tempos em tempos.